On:
On that rainy day, you and I... The moment we didn’t say a word, only awkward silence flowed between us as it pushed us apart. With cold faces, now you and I will we be able to go back? I still long for even that last moment I’m still like that... Into the falling rain... Into my tears.
B'Days!
Best Taggies
Best blogs!
ALL

17 de ago de 2016

[TAG] Coisas que todos adoram, mas eu odeio.


Hello, hello, hello! Quem é vivo sempre faz o seu login, né? Estou aqui para provar isso. Eu passei a semana inteira nesse sufoco infernal, finalmente achei um tempo para respirar. Fazer uma postagem, pelo menos, três semanas sem atividades é uma vergonha. Sinto muito, de verdade, eu prometi aparecer por aqui mais vezes. Eu estive pensando em fazer uma playlist, para não deixar o blog inativo, mas minhas músicas preferidas podem assustar a nação. Não estou sendo dramática, apenas trago verdades. Eis que meus review ainda faltam imagens e ai fiquei bolada com minha falta de vontade. Não sei o que afeta mais, a falta de vontade ou a falta de tempo, mas vamos empurrando tudo com a barriga, né?

A postagem de hoje é bem simples, "cês" sabem o quanto a titia adora responder tags, muitos dizem que elas atrapalham os blogs e ocupam espaço, mas fuck the police. Eu queria responder esta tag, porém não me lembrava muito bem de como era. Achei, novamente, essa danadinha no Forever Sapo, desta vez, não me escapa. Eu apenas observo as modinhas de hoje em dia, fico no beco, naquele cantinho de quem sente até medo de dizer que não gosta. Afinal, hoje em dia, para você ser taxado de otário, basta dizer que não gosta de algo que anda na moda. Eu gosto de kpop, mas não obrigo ninguém a "Boom shakalakar" comigo, vamos com calma galerinha. A internet é cruel e adoramos esse fato, bem, nem tudo...

Animes da turma do fundão:


Eu cresci assistindo animes sem nem saber o que eram e de onde surgiam. Nada muito extraordinário, basicamente, uma galera cresceu da mesma forma que euzinha Mello. Em um mundo onde 80% endeusa Naruto, Bleach, Dragon Ball e One Piece, eu sempre os detestei por achá-los extensos e muito forçados. Digo, depois de um tempo as histórias começam a se enrolar de forma confusa, bota personagem, tira personagem, bota drama, tira drama. Bota casaco, tira casaco. Os únicos animes extensos que eu consigo suportar são: Sailor Moon, Yu-Gi-Oh! e Pretty Cure, desculpem.

Baladinhas da vida


Se tem algo que eu odeie mais do que perder promoção de sabão em pó, são as amadas baladinhas. Eu fui uma única vez e me senti tão mal ao ponto de sair em menos de quinze minutos. Pode ser vergonhoso para alguém de vinte e quatro anos, no linguajar dos outros, eu deveria estar só de sutiã em cima de alguma mesa agora. Música eletrônica ao máximo de volume, cheiro de álcool, cigarros em todas as partes, gente berrando, gente se apertando de forma depravada em mesas e paredes. Eu admiro muito quem consegue sobreviver uma noitada em um lugar desses. Eu realmente prefiro um barzinho mais calmo ou, até mesmo, fazer aquele jantar bacaninha em casa! Que delícia, nada melhor do que o cheiro de flores do campo em meu cantinho.

Tirar fotos


Desculpem, mas não sei como o povo gosta tanto de se fotografar. Fazem isso em momentos tão estranhos que, por vezes, merecem prêmios. É foto do que vão comer, de onde estão, do sapato novo, do cabelo cortado, da parede e por aí vai. Eu até tiro fotos, mas a minha cara nunca aprece, eu nem deveria reclamar, adoro tirar foto dos meus pés. Eu sempre tive complexos com meu rosto, vem daí o meu trauma em tirar fotos. Algumas pessoas não entendem o meu desafeto com câmeras, é normal, aqui todo mundo ama tirar fotos, eu só pertenço ao grupo que não gosta tanto assim, sorry.

Vida fitness:


O que mais vejo por ai é essa galera maromba. Olha, você ser é uma coisa, agora, obrigar as pessoas entrarem nessa herbalife com você já é demais, né? Eu vejo mulheres tão magras quanto eu indo para a academia e se submetendo a dietas patéticas, para perderem gordura que nem existe. Eu gosto de fazer caminhadas, gosto de comer de tudo e me recuso a comer gororoba com a desculpa de que "vou viver mais". O único fato que não se pode mudar é a morte, não importa se você come alface ou coxinha. Dá para ser magro comendo tudo o que gosta, basta saber reduzir. Let's go engordar!

Eu resolvi não falar sobre séries e afins para não ser crucificada, mas olha, hoje se você não acompanha tais séries, você passa a ser um excluído da sociedade. As duas únicas séries que assisto estão em pausa, uma retorna em outubro e a outra, talvez, no ano que vem com a sua segunda temporada. Enfim, espero não ter ofendido ninguém, Não liguem para os erros no texto, eu ainda não almocei e nem cochilei, estou de pé no automático! Até a próxima pessoal, beijinhos.
Bring me Back to the Summer Storms with You and I...

Nenhum comentário:

Olá docinho, antes de sair não esqueça de comentar!

Layout feito por Roh A.Ramos | por favor não copie nada. Todos os direitos estão reservados © 2017.