15 de mai de 2014 at 23:08 with
Imagem encontrada em: With you.


Esta é a primeira vez que decido publicar um review por aqui, eu gosto de escrever, por isso tomei esta decisão. Eu não gosto muito de descrever minhas emoções ao assistir alguma anime, por isso verão poucos reviews por aqui, acho eu. O ponto ruim de colocar em palavras os seus sentimentos sobre algo é que sempre haverá alguém que irá discordar. Bem, isto não é ruim, o mundo é formado por opiniões diferentes, realmente seria um saco se todos tivessem o mesmo ponto de vista, certo? Acontece que algumas pessoas não entendem opiniões e decidem atacar quem possuí um gosto diferente, vamos com calma? Aprender a respeitar opiniões é uma das coisas importantes da vida que precisamos aprender, assim conviveremos sempre em harmonia com nossos amigos e familiares. Mas, e ai, tudo bem com vocês? Eu espero que sim, são onze horas da noite e eu comecei a fazer esta postagem lá pelas quatro da tarde de hoje... XD

Enfim, o assunto de hoje é um review, como foi citado anteriormente. Eu costumo escrever muito, é um aviso para quem tem preguiça de ler. Não costumo colocar muitos spoilers, fiquem tranquilos. Para quem não sabe, "NaNa" é um anime/mangá criado pela talentosíssima Ai Yazawa. É uma série de gênero Shoujo e possuí uma adaptação para o anime com o total de 47 episódios. A série gira em torno de duas garotas com personalidades totalmente diferentes, porém com pontos em comum, as duas chama-se Nana e acabam se tornando grandes amigas por "obra do destino"...
Antes mais nada... Que tal um aperitivo? Lol

Tóquio: a metrópole dos sonhos, das oportunidades, das grandes realizações pessoais. Nana Komatsu (ou melhor, "Hachi") está a procura de um lugar para se sentar no trem que parte rumo a capital nipônica. Ela viaja com o intuito de encontrar seu namorado, Shouji, e arrumar um emprego. Coincidentemente, ela senta ao lado de Nana Oosaki, que estava viajando para o mesmo destino, carregando consigo um grande sonho: tornar-se um grande nome da música. Vocalista de sua banda punk "Blast", Nana Oosaki almeja fazer uma grandiosa performance com o "Blast". Seu ex-namorado, Ren, é o guitarrista de uma banda muito popular, os "Trapnest". Compartilhando o mesmo nome "Nana", as duas garotas rapidamente criam um forte laço de amizade. Seus caminhos se cruzarão novamente quando ambas se vêem na procura de uma acomodação. Eventualmente, as garotas decidem morar no mesmo apartamento e, com isso, a amizade aumenta. E, assim, caminham as "Nanas": enfrentando as loucuras de suas vidas e carreiras.

Alguns personagens...
Pra inicio de conversa, NaNa não possuí muitas "kawaiizices" e muito menos é voltado para o mundo do faz conta, ele é um anime que mostra a realidade em forma de uma serie animada. Para quem assiste as obras de Ai Yazawa, não é difícil de se entender que ela cria histórias marcantes e com personagens muito reais. Realmente, no Japão, muitos jovens abandonam suas vidas amorosas, amigos e família para tentarem a vida em Tóquio, para de alguma forma realizarem o sonho de viver da música, arte ou pelos caminhos da moda. Bem, isto é fortemente explorado em NaNa, não é preciso nem assistir quatro episódios para se notar. O mangá é do estilo shoujo/josei, voltado para o público feminino adulto, e é considerado um dos mangás mais vendidos no Japão atualmente e graças á ele temos os 47 episódios da série. E para nossa alegria, o anime é bem fiel ao mangá! Para quem já assistiu Paradise Kiss, também criado pela Yazawa, sabe que seus trabalhos não são voltados ao mundo de fantasia e bobagens do tipo como vemos por ai. Hoje em dia os animes são voltados para este mundo de faz de conta, isso é irritante. É preciso se mostrar aberto para a realidade. Agradeço a Yazawa por seus maravilhosos trabalhos...

História:


Destino é uma palavra bastante utilizada por aqui. Afinal não é todo dia que duas garotas com o mesmo nome e idade, que possuem personalidades tão diferentes acabam indo para o mesmo lugar. O universo criado pela autora é incrível, cada personagem carrega suas histórias, seus medos, alegrias e fraquezas. O que me encanta aqui é que a história tem de tudo: Drama, intrigas, romance, traição, amizade, questões morais, vícios, comédia e ainda sobra espaço para separações e reparações. Tudo se mistura de uma maneira que, em muitas vezes, você nem ao menos percebe. Não posso citar muita coisa, gosto de deixá-los curiosos. O anime possuí muitos pontos e elementos importantes, por isso acho que deveriam assisti-lo para tirarem suas próprias conclusões. Nada melhor do que um anime mais realista, não?

Personagens:


Os personagens podem ser definidos com uma palavra: Humanos.
Sim, cada um deles possuí uma história que se encaixa em muitas pessoas. São personagens fictícios que carregam consigo histórias reais, não é difícil de se imaginar alguém que tenha um sonho como o de Oosaki Nana ou que tenha problemas amorosos como Komatsu Nana. Porém no meio de tantas histórias tristes, os personagens conseguem ser incrivelmente cativantes, é o mesmo sentimentos de quando assisti Paradise Kiss (próximo review! XD). Parece que Yazawa-San tem um dom muito especial em criar mundos, histórias e personagens incrivelmente humanos que inspiram e cativam  todos. Ao passar alguns episódios fica claro a real diferença entre as duas personagens principais. Oosaki Nana é a garota independente que não tem olhos para outro homem que não seja Honjo Ren. Enquanto Komatsu Nana apaixona-se rapidamente, age como uma criança mimada e não consegue viver sem ajuda de amigos. Porém a amizade das duas personagens se transforma em algo forte, em algo muito bonito e... Verdadeiro. Obviamente, as duas Nana's não são as únicas personagens criadas pela Yazawa-San. Ao longo do caminho você já não sabe mais como escolher seu personagem preferido, em alguns momentos sentir raiva de muitos deles é algo normal, só torna a história ainda mais realista. Vamos combinar que personagens "perfeitinhos" e cheio de meiguice enche o saco! XD

Traços:


Para quem já assistiu "ParaKiss", segue-se a mesma linha de traços: Corpo longo, esguio, rosto com traços fortes e bem elaborados. A atmosfera criada no anime é perfeita, os cenários melancólicos durantes as cenas mais tristes, a interação das cores com os traços...  Tudo é perfeito aos meus olhos, assistam para tirarem suas conclusões! XD

Música:

Claro que, em um anime que conta a história de uma garota com um sonho de viver da música deve ter uma boa trilha sonora, certo? Ok, nós temos isso! Afinal quem dita as regras aqui são as duas bandas mostradas no anime. Pode-se perceber uma alteração entre as aberturas, uma hora cantada pela banda Blast (Black Stones) e em outra pela Trapnest. Não tem como não se apaixonar pelas vozes das duas interpretes das canções, são duas cantoras bem conhecidas, só podia acabar em sucesso. Anna Tsuchiya emprestou sua voz a Oosaki Nana, já a belíssima voz de Reira é emprestada de Olivia Lufkin, ambas as moças são nipo-americanas. Separei as três aberturas para vocês, o último vídeos são algumas canções das duas bandas que valem a pena ouvir. Ah, isso não é J-POP! XD




Sentimentos, gostos e desgostos:


Em relação ao meu sentimento de quando assisti NaNa... Foi o mesmo de quando resolvi assistir Paradise Kiss: Empolgação! Os personagens, a história, a atmosfera... Tudo te prende ao anime. Quando um episódio termina, você avança de maneira apressada para o próximo. Você ri, chora, se sente na pele dos personagens e se revolta com situações. Sobre o final do anime, não posso citar muita coisa, não teria graça. Porém enquanto você assiste ao anime, percebe a bagunça que a vida dos personagens vira e no meio de toda essa euforia o final foi meio que inesperado... Reza a lenda de que o anime ganhará uma segunda temporada, só não sabemos quando. XD
Uma das poucas coisas que não gostei foi a quantidade de "jabás" que aparecem no anime, assim como qualquer outra obra da Yazawa. Para quem não sabe: É aquela propaganda marota de alguma marca, mesmo que bem rápida, elas aparecem em peso no anime pela intereção dos personagens. Marcas que são citadas por via jabá no anime: Vivienne Westwood, Apple, Fender, Gibson e diversas marcas reais de cigarro: Gitanes, Seven Star e Black Stone (da qual a banda de Oosaki Nana tirou seu nome).

Nota final: 10

Dados úteis:


  • Nome: NaNa;
  • Número de episódios: 47;
  • Número de capítulos no mangá: 42;
  • Autora: Ai Yazawa;
  • Gênero: Josei, Shoujo, drama, romance;

Assista online!

Perdoem-me pelos erros na hora de digitar, devem ter muitos pelo meio do texto. Prometo revisá-lo mais tarde! Chuu ~ 

Marcadores:



U are my golden star
Usagi / 24yrs / Personal Blog.

darlings

the past
credits
© 2014 - Codes, design and colors by pinktape. Icons by birdhaus. Bullets and mini-icons by 7THD and kawaii-box.